O dia em que a conheci

Nervosismo é palavra que melhor me carateriza naquele momento. O calor era abrasador no Parque Eduardo VII. A fila para a sessão de autógrafos era enorme, mas eu era dos primeiros. Felizmente, a Luso andava a distribuir a sua nova água com sabor a limão e foi isso que nos safou a todos os que esperávamos pela Cristina. Ela atrasou-se 20 minutos por causa de um acidente no IC19.

A fila foi andando. A minha vez a chegar e a senhora assistente diz-me “vê-se mesmo que estás nervoso”. A Cristina chamou-me. Digo-lhe “Olá! Eu sou o Rúben”, ela responde, muito simpática, “ah! Rúben” e dá-me dois beijinhos. Uma tez super suave. Como já lhe havia dito o meu nome, começou logo a autografar o livro Sentir. Nesse momento, disse-lhe que quero ser apresentador e que ela é a minha maior inspiração. Pedi-lhe para tirarmos a selfie que ficou linda-de-morrer 😛 agradeci e levantei-me, nem me lembrei que os fotógrafos e a imprensa estavam a tirar fotografias com os fãs. Lá fui, anestesiado da vida.

Se gostei? ADOREI!!!!! Ela é a minha maior inspiração. É a mulher para quem mais olho ao longo do dia. Nas redes soiais, claro. Mas eu tinha preparado mais ou menos o que era para lhe dizer. A timidez e os nervos estragaram tudo. A primeira coisa que disse foi “quero ser apresentador” e acho que isso não soou muito bem. Mas ela sorriu! Sorri sempre 😀 Mas, de resto, queria ter-lhe dito que tenho as 27 revistas, os 2 livros, que sou sempre das primeiras pessoas a meter like nas fotos dela, que vou ao blog Daily Cristina todos os dias e que nunca falho um Você na TV! Mas está feito! Conheci-a, é o que importa. Fiquei a gostar ainda mais dela. Percebeu-se que é tal e qual como na televisão. Simples, brincalhona, sempre a rir. E, acima de tudo, a acarinhar os fãs que a adoram.

Se isto acabar, o que vier depois será melhor.

O amor é amor sempre!