Um parque especial

A primeira vez que fui ao Parque Eduardo VII foi com a minha melhor amiga, a Mónica. Foi ela que me convidou. E, numa sexta-feira, faltámos a uma experiência de Física e Química. O problema é que depois tínhamos de fazer um relatório para nota. Mas nada de stress, nós conseguimos resolver a situação.

Lá fui eu, então, apanhar o metropolitano para ir visitar o enorme parque. Saí na estação “Parque”, obviamente. Quando saio, dou de caras com uma estrada. E eu à espera de sair diretamente no Parque Eduardo VII 🙁 Bem, não tem mal. Pensei: “Vou dar uma de turista e andar por aqui às voltas a ver se encontro o Marquês de Pombal”. Sei que passei duas vezes pela mesma zona, mas lá cheguei aonde queria. Subi todo o parque até ao cimo, onde se concentram a maior parte dos turistas para fazerem as fotos com uma vista linda sobre Lisboa. Feitas as fotografias, é tempo de descer. Uffffa! Deu uma trabalheira subir. E sim! Fiz paragens nos bancos, é para isso que eles servem. A descer todos os santos ajudam e as paragens foram só para tirar mais fotos. Quando cheguei lá abaixo deparei-me com a quantidade de autocarros e de turistas que Lisboa tem. Como ainda está muito calor, aproveitam e nós também gostamos que eles deixem cá o dinheirinho 😛 De seguida, passei pelo Marquês de Pombal. Mas essas fotos ficam para outro post.

dsc01264

dsc01268

dsc01270

dsc01272

dsc01273

dsc01274

dsc01276

dsc01278

dsc01280

dsc01282

dsc01283

dsc01284

dsc01285

dsc01286

dsc01288

dsc01289

dsc01290

dsc01292

dsc01293

Estudante de Artes e Humanidades na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Espera um dia ser jornalista/apresentador na televisão nacional.