Marquês de Pombal

Não me atrevi a ir à rotunda do Marquês. Pela agitação da cidade, resolvi passar um pouco ao lado, mas como sei da importância de Sebastião José de Carvalho e Melo tive, obviamente, que o fotografar.

Relativamente ao terramoto de 1755, e por isso se celebra tanto o Marquês de Pombal, este foi o principal impulsionador para reconstruir a cidade. Daí a famosa frase, após o desastre, “E agora? Enterram-se os mortos e cuidam-se os vivos”. 

Sebastião não foi apenas diplomático e estadista, foi também um visionário. Pensando muito à frente do seu tempo, questionou a ciência quanto ao comportamento dos cães aquando de um terramoto e ainda acerca do nível da água.

Esta é uma das grandes figuras de Lisboa e não se pode visitar a cidade sem passar pela rotunda do Marquês. Portanto, fica aqui o convite para os turistas. De seguida, dirigi-me à Avenida da Liberdade e aí sim estafei-me. Andei tanto, tanto! Mas fica para outro post. Não percam.

Já visitaram esta emblemática rotunda de Lisboa? Contem-me tudo e não me escondam nada.

dsc01312

dsc01311

dsc01310

dsc01309

dsc01308

dsc01307

dsc01305

dsc01306

dsc01304

dsc01303

dsc01302

dsc01301

dsc01300

dsc01299

dsc01298

dsc01297

dsc01296

dsc01295

dsc01294

Estudante de Artes e Humanidades na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Espera um dia ser jornalista/apresentador na televisão nacional.