The Post

Hey, amazings!

Parece que estou mesmo a caminho dos Óscares. Desta vez, trago-vos o The Post. Preciso ser cauteloso no que vou dizer acerca deste filme.  No cartaz só colocaram Streep e Hanks. E Steven Spielberg, claro! Só por se juntarem estes três grande nomes já quer dizer qualquer coisa.

As minhas expectativas eram muito altas. Remeti logo o filme para o feminismo e para o empoderamento da mulher. E também pelo elenco de luxo e por ter um realizador de renome. O filme é bom e penso que esteja bem adequado aos tempos que vivemos, na medida em que existe uma guerra entre a imprensa e Donald Trump.

E é de guerra que fala o filme, mais precisamente da do Vietname. Posto isto, e sendo tarefa dos jornais informar a sociedade, chega à redação do The Washington Post um estudo sobre o que foi feito na guerra por parte dos Estados Unidos. A personagem de Meryl Streep, dona do jornal, vê-se no posição complicada. Entre publicar e não publicar o estudo. Para saberem estas respostas têm que assistir ao filme, obviamente.

Existem várias partes do filme onde se vê quem tinha poder naqueles tempos – o homem. Não havia espaço para a mulher. Mesmo sendo dona do jornal, Kay Graham nem sempre tinha a palavra na assembleia e isso revoltou-me um pouco. No entanto, mais tarde, tomará as rédeas e será admirada por outras mulheres.

Acho que o filme não superou as minhas expectativas, mas sei que foi feito na altura certa, que tem grandes atores e que foi bem dirigido. Se vai ganhar o Óscar? Não sei! Mas penso que deverá ser dado lugar a outro.

P.S.: ADORO A MERYL STREEP

Estudante de Artes e Humanidades na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Espera um dia ser jornalista/apresentador na televisão nacional.