Hey, amazings!

Já sabem que sou um grande fã da Cristina e, há dois dias, o meu telemóvel entupiu de tantas mensagens que recebi a perguntarem o que se estava a passar. Também devido ao facto de estar a estagiar no Correio da Manhã e de ter sido o jornal a revelar a notícia em primeira mão.

De facto, foi um exclusivo do CM. Na redação, já se falava há alguns dias de uma suposta mudança de cargo da Cristina Ferreira. O que não se sabia era qual o cargo, muito menos que ela mudaria de estação. Tenho o privilégio de estar sentado ao lado do jornalista que escreve as notícias sobre os media. A minha secção é a de cultura/media/vidas. Tive acesso à informação uns minutos antes de se revelar cá para fora. Qual não é o meu espanto quando olho para o computador do meu colega e vejo o título “Cristina Ferreira troca TVI por SIC”. Não tive reação mas, depois, esboçou-se um sorriso na minha cara.

O sentimento que tenho é confuso. A maior tristeza é a separação da incrível dupla #Gouchina. Por outro lado, admiro esta mulher que, aos 40 anos, se permite a aventurar em novos desafios. A Cristina estava confortável na TVI: tinha um ordenado que mais ninguém tem, dispunha de meios técnicos, publicitava os seus próprios produtos, entre outras regalias que a apresentadora foi conquistando ao longo dos anos. No entanto, decide trocar a estabilidade que tem pelo desconhecido. Pelo sonho. Quando achamos que a televisão não pode mudar e já não passa do mesmo, a Cristina faz isto.

Todas as semanas, a menina da Malveira tem capas e capas de revistas publicadas nas bancas. Ora porque mudou a cor do cabelo, ora porque falou da vagina em direto no programa. Ou seja, esta mulher está sempre a surpreender pela sua forma inusitada de ser. Mas nunca se pensaria que isto acontecesse. Algum dia, ela e o Goucha teriam de se separar, mas o mais certo era o apresentador reformar-se.

Posto isto, quero dizer que apoio sempre a mudança. É como ela diz “Pior do que ir e ter que voltar é não ir e nunca saber onde se podia chegar”. Encaro a mudança como uma procura pelo sonho. A Cristina vai para as manhãs e, provavelmente, o programa terá o seu nome. Eu gostava que assim fosse, já que se daria uma consolidação da sua marca bem ao estilo Oprah Winfrey. Também se sabe que terá um segundo programa, à tarde, tal como o “Apanha Se Puderes”.

Resta ainda algumas dúvidas. O que acontecerá a todos os programas do “Apanha”, que estão gravados até ao fim do ano? Será que o blog Daily Cristina continuará a fazer parte das tabelas comerciais da Media Capital Digital? Será que a Cristina vai passar a apresentar os Globos de Ouro que a SIC emite todos os anos? Quem será que a TVI vai buscar para fazer dupla com Manuel Luís Goucha, ou este continuará sozinho? Penso que estas são as minhas principais dúvidas.

Os próximos tempos serão de mistério, mas em Setembro já se saberá algo. No que toca às audiências, não farei comentários. Não gosto de me referir a programas nem a estações televisivas tendo por base shares ou ratings. Importa sim que tenham bons conteúdos, mesmo que às vezes não tenham uma grande adesão por parte do público. Sabe-se das dificuldades que os media estão a passar, devido à fragmentação dos espectadores; tudo isto graças aos canais temáticos e a plataformas como a Netflix.

Cristina, importa que sejas feliz. Não importa se vais ganhar 70 ou 80 mil euros. O que importa é que és uma mulher com eles no sítio. Se um dia me disserem que vais abrir um canal de televisão com o nome CRISTINA, eu vou acreditar. Agora já acredito em tudo. Ate porque “o que vier depois será melhor”.

FOTO: © Blog/Daily Cristina

Estudante de Artes e Humanidades na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Espera um dia ser jornalista/apresentador na televisão nacional.